23/09/2014 às 17:20 - Atualizado em 22/03/2016 às 18:38

Prévia da inflação oficial acelera a 0,39% em setembro e fica acima da meta do governo

pesqueira-emfoco.com Prévia da inflação oficial acelera a 0,39% em setembro e fica acima da meta do g

A prévia da inflação oficial brasileira, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), ficou em 0,39% em setembro, informou o IBGE nesta sexta-feira. Em agosto, o indicador havia subido 0,14% e, em julho, 0,17% e, em setembro de 2013, de 0,27%. Em 12 meses, o IPCA-15 agora acumula alta de 6,62% e, no ano, de 4,72%.

O sistema de metas de inflação do governo é orientado pelo IPCA. A meta central é de 4,5%, podendo chegar a 6,5% no ano. Para segurar o avanço dos preços, o Banco Central fez nove elevações seguidas na taxa básica de juros, a Selic, até os 11% atuais, que vêm sendo mantidos desde maio.

Segundo o instituto, os preços dos alimentos voltaram a subir e foram para 0,28%, depois de recuarem 0,32% em agosto, puxados, principalmente, pelas carnes, que ficaram 2,30% mais caras de um mês para o outro, pela refeição fora de casa, que teve aumento de 0,90%, e pelo leite longa vida, com 1,47%.

Também o vestuário acelerou — de deflação de 0,18% para inflação de 0,17% —, além do item Despesas Pessoais (de -0,67% para 0,31%) e Comunicação (de -0,84% para 0,56%). No grupo dos Artigos de Residência (de 0,41% para 0,43%) as variações ficaram próximas de um mês para o outro.

O IBGE explica que as diárias dos hotéis, que haviam sido as responsáveis pela deflação do grupo Despesas Pessoais em agosto (com queda de 23,54%), em setembro ficaram quase estáveis, com ligeira queda de 0,09%.

Já o item empregados domésticos avançou 0,78%, mas o cálculo teve que ser adaptado diante da indisponibilidade das informações da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) para Salvador e Porto Alegre com referência aos meses de maio, junho e julho, por causa da greve do IBGE.

 

Passagens aéreas subiram 17,58%

O instituto diz que usou os últimos rendimentos disponíveis nas duas regiões, que se referem a abril, para estimar a tendência da série em setembro. Assim, foram estimados, a partir de abril, cinco meses à frente, em vez de dois, como é a metodologia corrente adotada. As demais regiões seguiram o procedimento regular.

O grupo dos Transportes também acelerou de 0,20% para 0,45% em setembro. Estão nesse grupo o principal impacto de alta do mês: as passagens aéreas, que subiram 17,58% e tiveram impacto de 0,07 ponto percentual no índice final.

Os grupos que tiveram variações abaixo das registradas em agosto foram os grupos Habitação (de 1,44% para 0,72% em setembro), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,55% para 0,30%) e Educação (de 0,42% para 0,20%).

Em Habitação, o IBGE destaca o resultado da energia elétrica (de 4,25% para 1,52%), do condomínio (de 1,36% para 0,35%) e da taxa de água e esgoto (de 1,37% para -0,17%). Esta última teve a queda motivada pela região metropolitana de São Paulo, cujas contas ficaram 2,52% mais baratas, em média, levando em conta a maior intensidade do efeito do Programa de Incentivo à Redução de Consumo de Água, que bonifica com 30% de redução nas contas os usuários que reduzem em 20% o consumo mensal.

Entre os índices regionais, Belém teve o maior índice (1,10%), por causa do reajuste das tarifas de energia elétrica, que subiram 34,41% em 7 de agosto. O menor índice foi o de Goiânia (0,05%).

 

Fonte: O Globo

Problemas com a imagem

Sobre o Sindicato

Sindicato do Turismo e Hospitalidade do Estado do Tocantins

  • Endereço:
    Rua D - Qd. 10 - Lt. 1 a 5 - Nº 109 - Setor Eng. Waldir Lins
  • CEP: 77423-030
  • Processo: 566
  • Telefone(s): (63) 3312-1285
    Fax: (63) 3312-1285
  • Email contato: sindhorbsto@gmail.com
  • Presidente:
    MARIA LÚCIA DORTA POMPEU